Alfabetização, dignidade e desenvolvimento humano

O Dia Mundial da Alfabetização, comemorado em 08 de setembro, foi criado em 1967 pela ONU (Organização das Nações Unidas) e pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), com o objetivo de alertar o mundo sobre sua importância.
 
A alfabetização não é apenas sobre ler e escrever, mas é um dos elementos responsáveis pelo desenvolvimento de um país (IDH), já que uma população alfabetizada tem maiores chances de conseguir empregos e melhores rendas.
 
Ela também é uma ferramenta para a diminuição das desigualdades sociais, já que conhecimento está relacionado com a diminuição da pobreza. Além disso, o domínio da língua liberta pessoas da ignorância, transformando-as em sujeitos críticos, capazes de mudar realidades.
 
Programa Ensinando Vida
 
Ensinando Vida é um programa que nasceu há quase oito anos quando a Missão Cristã Mundial, MCM, se deparou com a realidade das crianças dalits (a casta dos “intocáveis”) da Índia. A cultura hindu acredita que essa “classe social” é amaldiçoada pelos deuses, são considerados imundos e as castas superiores não os tocam.
 
O índice de analfabetismo entre eles é muito alto, especialmente entre as meninas, devido à cultura machista que as obriga a casar ainda na infância. Além disso, os cerca de 300 milhões de dalits indianos sobrevivem com menos de um dólar por dia.
 
O programa, então, oferece bolsas de estudo para essas e outras crianças em situações precárias, a fim de que elas consigam dar um destino diferente para suas vidas. Todos os recursos são arrecadados pela MCM, ONG brasileira que atua em diversas frentes de trabalho no Brasil, Ásia e África.
 
Os missionários que estão a frente do programa afirmam que as meninas dão mais valor na oportunidade de estudar, pois elas sabem que essa é a única chance de um futuro melhor. A escola na Índia é sinônimo de dignidade. Quando um dalit consegue estudar e se formar numa faculdade, ele rompe o sistema de casta.
 
Apple of God's Eyes Academy
 
No ano de 2009 a MCM deu início a Escola do Programa Meninas dos Olhos de Deus no Nepal, com pré-escola até a série 5. Depois de uma longa caminhada, hoje consegue oferecer aulas até a série 10, que é um momento decisivo na vida dos alunos, onde são submetidos ao vestibular nepalês, chamado de SLC (School Leaving Certificate), também conhecido como Portão de Ferro.
 
Se não for aprovado nesse exame, o aluno não pode dar continuidade aos estudos, não pode tirar carteira de motorista e não consegue empregos dignos. Graças ao programa e a escola, dezenas de crianças foram tiradas, literalmente, das mãos de traficantes (o tráfico sexual no Nepal é muito comum) e inseridas em um ambiente de amor e aprendizado, onde puderam dar um rumo diferente em suas vidas. Uma delas é Anjali Tamang, cuja trajetória de superação virou um livro: “A História de um Resgate”.
 
Viúvas na Índia
 
Na Índia, o índice de mulheres analfabetas também é muito grande, devido a miséria, a questão de castas e também por se casarem muito cedo. Quando se tornam viúvas, essas mulheres são ainda mais discriminadas, sendo culpadas pela morte de seus maridos. Ficam sem emprego, sem casa, sem família.
 
Em Delhi, por meio da alfabetização em hindi e cursos de corte e costura, muitas viúvas tem aprendido uma profissão e agora conseguem sustentar seus filhos. O modelo de trabalho implantado na Índia pela MCM está sendo levado a outros países, recentemente a Missão descobriu muitas viúvas oprimidas nos campos de refugiados do Quênia, centenas de mulheres sem direito algum, mercê da própria sorte
 
Escola Cristã Reobote
 
Em Guiné-Bissau, muitos pais impedem suas crianças de estudar porque preferem que elas trabalhem e gerem renda à família, em atividades comuns ao povo guineense como, a colheita de caju e a pesca. Por isso, muitos crescem analfabetos e sem perspectiva de mudança.
 
Em 2007, a MCM deu início a Escola Reobote, que atualmente atende mais de 300 crianças. Eles recebem, além das aulas, uma refeição e o uniforme escolar. Para a maior parte dos alunos é a única oportunidade diária de alimentação e também de usar roupas novas e calçar sandálias.
 
Programa Mudando História
 
Em janeiro de 2017 começava a nascer o projeto com crianças em Dondo, Moçambique. Hoje o trabalho conta com reforço escolar, alfabetização e sala para amparar bebês que são levados pelas crianças que frequentam as outras atividades.
 
Moçambique é um país onde os desafios para uma formação escolar iniciam logo nos primeiros anos e as taxas de analfabetismo entre jovens e adultos com idade superior a 15 anos é uma das maiores do mundo.
 
Coreia do Norte
 
Na Coréia do Norte, país considerado como o mais fechado ao Evangelho no mundo, a MCM conseguiu entrar através da doação de uma van, kits de energia solar e agasalhos a orfanatos, contribuindo assim, para que crianças tenham maiores condições de estudar.
 
Sertão Nordestino
 
O Nordeste concentra 52,7% do total de analfabetos do Brasil, segundo pesquisa divulgada em 2011 pelo IBGE. Por causa disso, a MCM se concentrou em Juazeiro do Norte-CE para alfabetizar adultos e também incentivar menores a permanecerem na escola, por meio de aulas de reforço, natação e artesanato.
 
Tudo isso é feito graças às doações de centenas de parceiros, que todos os meses depositam suas contribuições na conta da Missão. Deixamos aqui nossa gratidão a todos que ofertam, oram e vão conosco até os povos não alcançados. Vocês estão mudando a história de muitas famílias por meio da alfabetização.
 

Compartilhe