Editar artigos


Tropas do ditador sírio Bashar al-Assad mataram 250 pessoas em 48 horas de bombardeios na região controlada por rebeldes. Entre as vítimas, estão 58 crianças. 

Mulheres e crianças sendo socorridas em meio a bombas que não param de cair. As imagens estão sendo colocadas em redes sociais pelos próprios socorristas, que cruzam áreas devastadas atrás de sobreviventes. 

Aviões sírios e russos bombardearam pelo segundo dia consecutivo a região de Ghouta, a leste da capital Damasco, um reduto das forças rebeldes que lutam contra o ditador Bashar al-Assad. 

A Organização Mundial da Saúde informou que cinco hospitais foram atingidos. De acordo com o Observatório Sírio para Direitos Humanos, foram as 48 horas mais mortais dos últimos três anos em Ghouta. 

Foi lá que, em 2013, um ataque com gás sarin deixou mais de 500 mortos. 

Os bombardeios são a mais dura ofensiva do ditador sírio na tentativa de acabar com a rebelião contra ele que já dura sete anos. 

A ONU pediu o imediato cessar-fogo na área, dizendo que a situação ficou fora de controle depois de uma extrema escalada de violência. Cerca de 400 mil pessoas vivem na região que está sendo bombardeada. 

O Unicef, o fundo das Nações Unidas para a infância, emitiu um comunicado em branco, dizendo apenas que nenhuma palavra faria justiça às vítimas. 

Fonte: G1 

Compartilhe