EUA emite relatório anual sobre liberdade religiosa

A Comissão de Liberdade Religiosa Mundial é uma das principais agências do governo dos Estados Unidos emitiu seu relatório anual no início de maio, onde diz que “a liberdade religiosa sofreu sérios ataques em diversos países, durante o ano de 2015” e que vai adicionar sete países à lista das nações que cometem crimes hediondos.
 
São estas: República Centro-Africana, Egito, Iraque, Nigéria, Paquistão, Síria e Vietnã. Além disso, o relatório incluiu algumas regiões da Europa Ocidental que merecem monitoramento por causa de alguns acontecimentos preocupantes. No ano passado, a comissão fez a mesma recomendação sobre estes países, além do Tajiquistão e o Departamento de Estado só os reconheceu no dia 14 de abril desse ano.
 
Os Estados Unidos apontam estes países por diversos motivos, entre eles as violações da liberdade religiosa, incluindo tortura ou castigo desumano, detenção prolongada sem acusação, desaparecimento de pessoas, seja por motivo de sequestro ou detenção clandestina, negação do direito à vida e a liberdade em vários setores ou à segurança pessoal.
 
As leis americanas fazem com que a Casa Branca tome suas medidas para promover uma melhoria nesses países através de negociações ou sanções unilaterais“, diz um dos representantes da comissão. Além disso, a avaliação anual verifica o nível de violação dos direitos humanos em todo o mundo.
 
Alguns países já foram selecionados formalmente e são motivo de preocupação para os EUA, entre eles estão Mianmar, China, Eritreia, Irã, Coreia do Norte, Arábia Saudita, Sudão, Turcomenistão e Uzbequistão. No geral, o relatório diz que a situação era ruim, mas ficou ainda pior.
 
Há muitas restrições para os cristãos e outras minorias religiosas. Na China, por exemplo, durante o ano passado, o governo intensificou a perseguição a grupos religiosos considerados uma ameaça à supremacia e manutenção do Estado. Muitas igrejas foram demolidas e cruzes foram derrubadas como forma de protesto contra o cristianismo. No Paquistão, há muitas pessoas no corredor da morte ou que foram condenadas à prisão perpétua por blasfêmia, o que tem encorajado os talibãs a intensificarem a violência contra as minorias religiosas. Na Nigéria, o grupo Boko Haram continua a atacar os cristãos, sequestrando meninas, invadindo escolas, afetando inclusive os países vizinhos e deixando milhares de mortos e milhões de deslocados. Na Índia, os grupos nacionalistas hindus estão realizando ataques violentos e batalhando por conversões forçadas ao hinduísmo“, afirma o relatório.
 
O Relatório sobre Liberdade Religiosa apenas confirma a triste realidade de nações que rejeitam o cristianismo, entre outras minorias religiosas, e que vão além, perseguindo e matando todos aqueles que se negam a seguir a fé imposta por seus líderes.
 
Fonte: Portas Abertas