Lula decide não se entregar à PF

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse para o jornalista Ricardo Kotscho, do jornal Folha de S.Paulo, que sua decisão era a de não se entregar para a Polícia Federal, em Curitiba (PR). Kotscho foi secretário de Imprensa do governo Lula.

O juiz Sergio Moro expediu nesta quinta-feira uma ordem de prisão contra Lula e determinou que ele se entregasse à PF até as 17h desta sexta-feira, dia 6. Nas redes sociais, simpatizantes do petista postam frases em apoio à decisão de não se entregar: ‘resistir e lutar’.

Em entrevista para a rádio CBN, o ex-chanceler Celso Amorim disse que essa questão era uma decisão pessoal de Lula, mas que não sabia se a melhor opção era ir ‘docilmente’ para Curitiba.

Por outro lado, advogados do ex-presidente que defendem que Lula cumpra a ordem de prisão, pois temem que esse ato seja configurado como desobediência ou até mesmo um indício de tentativa de fuga.

Lula está na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, desde ontem. Ele passou à noite lá acompanhado de parentes, amigos e dirigentes políticos.

Para Kotscho, o ex-presidente afirmou que estava tranquilo, bem disposto e que já tinha feito seus exercícios matinais. Lula foi condenado a 12 anos e um mês de prisão na ação penal do tríplex do Guarujá (SP).

Cumpra-se a lei

Não há contradição alguma, como querem o PT e os equivocados, no fato de Lula ser preso por conta de uma legislação que poderá ou não mudar no futuro – a prisão em 2ª instância. É ela que existe. Foi reafirmada, ontem, pela quarta vez consecutiva em dois anos, pelo Supremo Tribunal Federal durante o julgamento do pedido de habeas corpus de Lula. Até que se invente outra legislação, vale a que está ai.

O ministro Marco Aurélio de Mello anunciou que levará na próxima quarta-feira à ministra Cármen Lúcia o pedido de julgamento urgente de duas ações que acabam com a prisão em 2ª instância. Que o faça. Mas isso não significa que o pedido será atendido. O mais provável é que entre numa longa fila de ações e de pedidos de habeas corpus que esperam a vez de ser julgados. Só habeas corpus são mais de 5 mil.

É momento de intercessão

Ore para que não haja derramamento de sangue no cumprimento dessa lei.


Fonte: Veja

Compartilhe