Multidões vêm a Cristo depois de bombardeamentos na Igreja do Egito

Líderes cristãos no Egito disseram que multidões estão vindo a Cristo apesar dos ataques da igreja e da perseguição que os crentes sofrem, notando que as pessoas no Ocidente muitas vezes não veem ou ouvem falar de notícias tão "celestiais".

O reverendo Sameh Hanna, pastor da Igreja Evangélica no Cairo, estava entre os crentes que falaram com o premier  na segunda-feira, marcando o primeiro ano desde os atentados no domingo, que deixaram 45 mortos e 126 feridos.

"O humor é muito, muito bom entre os cristãos que vivem no Egito. Não porque a situação é boa ou ruim - essa não é a razão. Temos dois tipos de notícias - notícias terrenas, que são muito feias, muito desencorajadoras, você só recebe as notícias terrenas - um bombardeio aqui ou ali, disse Hanna. Mas há notícias celestiais. Sabemos o que está acontecendo espiritualmente. Vemos coisas que nem todos estão vendo. Ouvimos coisas que vocês no ocidente não estão ouvindo. Vemos a multidão chegando ao conhecimento de Cristo de todas as origens, então isso traz alegria para nós."

Uma fé inabalável

O Rev. Andrea Zaki Stephanous, presidente da Comunidade Protestante do Egito, acrescentou que os crentes sofrem mais ataques do grupo terrorista Estado Islâmico que outros grupos. "Quando a segurança sabe que eu estou indo para certa igreja reforçam a segurança, mas você nunca sabe. Você pode esperar a qualquer momento que alguém venha com uma bomba e realize um massacre. Então todos os dias confiamos em Deus e vamos," ele disse.

Pe. Kyrillos Fathy estava na igreja copta de São Marcos, uma das casas de culto que foi bombardeada no ano passado, e disse que ele escapou por pouco de cruzar com o homem-bomba durante o ataque.

"Mesmo que o incidente tenha sido muito terrível e nos deixou emocionalmente vulneráveis, acreditamos na Bíblia e no versículo da Bíblia que diz que tudo coopera para o bem", Fathy compartilhou. Ele explicou que a igreja estava cheia para o culto após o ataque de Domingo, apesar do horror pelo qual as pessoas haviam sofrido.

Espiritualmente fortes

Os vídeos de abril de 2017 após os atentados exibiram a força espiritual dos crentes coptas que foram registrados entusiasticamente cantando o Credo de Nicéia na igreja.

David Curry, presidente da Open Door USA, que defende a Igreja perseguida em todo o mundo, disse ao The Christian Post  na época que, apesar da dor e do choque, os cristãos estão firmes na fé.

"Os coptas são um grupo inspirador que tem estado sob tanta pressão por sua fé e, no entanto, eles estão fortes e realmente mostrando o amor de Jesus em face da grande oposição", disse Curry.

Ele disse ao CP que a maioria dos egípcios "quer ser uma sociedade pluralista no sentido de permitir que os coptas e outros grupos religiosos permaneçam... mas provavelmente haverá pressão dos fundamentalistas islâmicos. Vocês sofrerão ataques contínuos".

Fonte: The Christian Post

Compartilhe