Muçulmanos veem Jesus em sonhos

Dois milhões de muçulmanos se reuniram no domingo para o início do Hajj, a peregrinação anual a Meca, e alguns deles estão vendo Jesus em sonhos, afirmou um missionário.

Perry LaHaie das Fronteiras EUA ressaltou que o Hajj acontece durante cinco dias, um cubo negro que se acredita ser a casa de Alá. Nesse período alguns cristãos também circulam por esse lugar.

LaHaie disse em um artigo na sexta-feira no Mission Network News  que algumas pessoas contaram inúmeras histórias de "Deus usando o Hajj para revelar aos muçulmanos a verdade da Bíblia e de Jesus Cristo", especificamente através dos sonhos.

"Adila teve vários sonhos com Jesus e ela conta a seu imã, seu líder espiritual, sobre isso. Ele diz a ela que Alá a está favorecendo e que ela deveria ir ao Hajj. Sua família juntou o dinheiro e ela foi para Meca", disse LaHaie, relatando a historia dessa mulher chamada Adila.

"A primeira vez que ela anda pela pedra de Kaaba, ela vê Jesus na rocha - a pedra de Kaaba - e ele olha para ela. É uma visão no meio do dia. Ele diz a ela: “Eu te amo, eu morri por você, leia o livro”. Foi o que ela fez e hoje está seguindo a Jesus".

Ele se manifesta

LaHaie também compartilhou a história de Ali e Zehra da Turquia. O marido, Ali, era um alcoólatra que batia em sua esposa na frente de seus filhos. Ele viu seus erros e decidiu procurar a ajuda de Allah no Hajj.

Ele esperava que se tornasse um muçulmano devoto. Ele não queria mais ferir sua família. Na sua primeira noite em Meca, Jesus apareceu para ele em um sonho dizendo: “Você pertence a mim” Quando ele acordou, ele ouviu novamente a voz de Jesus repetindo “Você pertence a mim", revelou o missionário.

Ele retornou para sua esposa e filhos com lágrimas e apenas soluçando, ele implorou perdão. Foi um começo. Mas sua transformação ao longo do tempo inspirou sua família a seguir Jesus. Agora Ali e Zehra estão pastoreando uma igreja.

O Centro Saudita de Comunicação Internacional, revelou que os peregrinos muçulmanos de todos os cantos do mundo se reuniram em Meca no domingo.

"As autoridades sauditas afirmaram oficialmente que o número total de peregrinos realizando o Hajj neste ano já ultrapassou dois milhões, a maioria deles de fora do Reino", afirmou um comunicado à imprensa.

"Autoridades disseram que os números finais podem aumentar com a chegada de mais peregrinos nos próximos dias. Os maiores contingentes são do Egito, Índia, Paquistão, Bangladesh, Sudão e Jordânia".

Perseguição

Como um dos cinco pilares do Islã, todos os muçulmanos que são fisicamente e financeiramente capazes de fazer a peregrinação devem fazê-lo pelo menos uma vez na vida.

Os muçulmanos que decidem se converter ao cristianismo devem viver sua vida em segredo na Arábia Saudita, disseram grupos de vigilância, como a Portas Abertas dos EUA. O grupo classifica a Arábia Saudita como a 12ª pior nação em sua lista de vigilância mundial quando se trata de perseguição cristã.

O grupo alertou que as mulheres cristãs são particularmente vulneráveis, com a lei saudita permitindo que um marido bata ou até mate sua esposa se ele descobrir sua fé em Cristo.

Fonte The Christian Post

Compartilhe