Pastor Nigeriano foi morto e sua esposa sequestrada

Um pastor batista na Nigéria foi morto por homens armados que invadiram sua igreja e sequestraram sua esposa poucos dias depois que um padre católico foi morto enquanto fazia compras em uma mercearia.

Citando uma fonte não identificada, o jornal diário independente The Guardian, de Lagos, relata que invadiram a Igreja Batista Nasara na área de governo local de Igabi, no estado de Kaduna, durante a madrugada de segunda-feira e mataram o pastor Hosea Akuchi.

Os agressores teriam invadido a igreja por volta de uma hora da manhã. Eles supostamente seguiram para os aposentos do pastor, onde eles o mataram e sequestraram sua esposa, Talatu Hosea.

A fonte alegou que os assaltantes estipularam um valor para o resgate da esposa do pastor que seria o equivalente a quase R$ 50.000. No entanto, as autoridades negaram que um resgate tenha sido solicitado.

"Os sequestradores disseram que precisamos pagar a eles 5 milhões de dólares antes que eles possam libertá-la", disse a fonte. "Você pode imaginar que agora eles têm o instinto de entrar na casa das pessoas, matar e sequestrar e também ter o descaramento para exigir um resgate. Onde e como podemos conseguir esse dinheiro?"

A fonte se perguntou como ele e os outros cristãos "se tornaram prisioneiros em nosso próprio país como cidadãos cumpridores da lei".

Criminosos impunes

O assassinato e o sequestro ocorrem na Nigéria como o 14º pior país do mundo em perseguição cristã, de acordo com a World Watch List de 2018 da Open Doors USA .

"Como pode essa injustiça continuar em um país como a Nigéria sem medidas sérias para verificar as atividades dessas pessoas", perguntou a fonte. As mortes foram confirmadas por Yakubu Sabo, porta-voz do comando da polícia do estado de Kaduna.

Sabo disse ao Naija News que os atacantes inicialmente queriam sequestrar Akuchi e que suas intenções iniciais poderiam não ter sido matá-lo. No entanto, o pastor não cooperou com as demandas dos atacantes e foi baleado em vez disso.

"É lamentável que enquanto estamos desfrutando da paz em Kaduna, alguns criminosos estão fazendo isso para sabotar nossos esforços coletivos", disse Sabo. "Nós visitamos a cena do incidente e estamos fazendo nosso melhor para chegar à raiz deste incidente."

Os criminosos ainda não foram identificados e seu motivo ainda não é conhecido. "A afirmação de que um resgate foi imposto à mulher não é verdade", disse Sabo ao The Guardian".

Muitas comunidades cristãs na Nigéria enfrentaram ataques que foram lançados por pelos muçulmanos Fulani. Os ataques levaram à morte de mais de 6 mil cristãos desde janeiro , de acordo com ativistas de direitos humanos.

Além disso, cristãos e outras minorias religiosas foram perseguidos pelo grupo terrorista Boko Haram no nordeste do estado de Borno.

Cristianismo em perigo

Akuchi foi o segundo pastor a ser morto no fim de semana, quando o padre católico Michael Akawu também foi morto por supostos ladrões no sábado, enquanto fazia compras em um supermercado em um subúrbio de Abuja. Akawu foi o primeiro sacerdote indígena de sua diocese.

A Associação Cristã da Nigéria pediu às autoridades que prendam aqueles que mataram Akuchi e Akawu. "Chamamos a polícia Nigeriana e outras agências de segurança relevantes para fazer o que for preciso para trazer os culpados para resgatar a viúva do falecido Rev. Akuchi o mais rápido possível".

"Mais uma vez, pedimos que nossas agências de segurança sejam mais pró-ativas e invistam mais na coleta de informações, a fim de impedir que muitos desses crimes cometidos sob seus relógios sejam detectados", afirmou a associação cristã que apoia os cristãos.

Bosun Emmanuel, secretário do National Christian Elders Forum, alertou recentemente que o cristianismo está em perigo na Nigéria.

"Realisticamente falando, o cristianismo está à beira da extinção na Nigéria", disse ele em uma conferência recente da Catholic Men's Guild em Lagos. "A ascendência da ideologia da Sharia na Nigéria soa o número de mortos para a Igreja nigeriana".

Segundo a Portas Abertas dos EUA , a Nigéria tem uma população de cerca de 191.800.000 e estima-se que 88.900.000 deles são cristãos. A Ajuda à Igreja que Sofre informa que o país é composto de 46% de cristãos, 46% de muçulmanos e outros grupos religiosos tradicionais.

Fonte The Christian Post

Compartilhe